INFORMAÇÃO / Educação

image

Inclusão: Alunos com deficiência recebem atendimento exclusivo na rede municipal de ensino


Cerca de 220 alunos participam de atividades específicas no atendimento educacional especializado

Oito unidades da rede municipal de ensino desenvolvem atendimento específico para alunos que apresentam algum tipo de deficiência em Rio do Sul. Ao todo, 221 alunos do Ensino Fundamental são atendidos. O objetivo é propor a integração e desenvolvimento cognitivo com atividades específicas nas unidades escolares.

O público é formado por alunos do Ensino Fundamental com quadro de autismo, Síndrome de Asperger, deficiência intelectual (leve moderada ou severa), déficit intelectual (deficiência leve), baixa visão, deficiência auditiva e transtornos como Opositor-Desafiador (TOD), déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e dislexia. Na educação infantil a maioria dos alunos apresenta atraso do desenvolvimento neuropsicomotor e deficiência física.

As salas de recursos são utilizadas com objetivo de "elaborar, suplementar e complementar as questões de desenvolvimento cognitivo e neurobiológico da crianças. Enfatizo que não é reforço escolar", pontua a professora de Educação Especial, Edycleya Silvério. "Os espaços são ambientes dotados de equipamentos, mobiliários e material pedagógico para promover a participação e aprendizagem dos alunos no ensino regular", completa a educadora.

A rede municipal de ensino é composta por 221 alunos com laudo com todos os tipos de deficiência atendidos nas oito salas de recursos cadastradas pelo Ministério da Educação (MEC): Ella Kurth, Aníbal de Barba, Roberto Machado, Pedro dos Santos, Ricardo Marchi, Ceplas, Willy Schleumer e Sebastião Back. Na rede há 10 servidores para atendimento das oito escolas com turmas do 1º ao 9º ano.

Educação integradora
Para Edycleya, "o profissional de educação especial dentro do ensino regular é um mediador em todas as áreas. É este profissional que realiza o elo entre a unidade de ensino e a família do aluno, quem faz a ponte entre o professor e conteúdo. Além da conexão entre família e sociedade".

A secretária de Educação, Janara Mafra, destaca "que a educação é uma atividade que traz crescimento cognitivo e oportuniza o desenvolvimento humano. E a rede pública de ensino está atenta à comunidade com deficiência. O ambiente educacional tem o dever de acolher todos. As atividades desenvolvidas pelo atendimento especializado desenvolvem e estimulam esta parcela de alunos. Dessa forma, enxergamos a educação como função que agrega toda a população estudantil de Rio do Sul".

Na lista de atividades práticas consta: oficina de pipas, slackline (equilíbrio em cordas), práticas sensoriais com bolas de pilates, dentre outras. O atendimento educacional especializado (AEE) ocorre de forma individual ou em pequenos grupos, uma a duas vezes por semana, com prioridade no contraturno.

Relacionados

A Secretaria de Agricultura de Rio do Campo em parceria com o Senar, oferecerá o curso de Instalação e Manutenção de Redes Elétricas. O treinamento é gratuito e será realizado nos dias 23 e 24 de maio de 2018 no Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Sintraf), localizado em frente à Prefeitura. O horário do curso é das 8h às 17h, com almoço gratuito aos participantes. As inscrições devem ser feitas até o dia 22 de maio. Para participar basta ter 18 anos completos. Os interessados devem entrar em contato com a Sec [...]

Quatro partidas eliminatórias vão definir as equipes classificadas para as semifinais do Campeonato Municipal de Futebol de Rio do Sul - Taça Kaishi Asian Food. Os jogos serão disputados no domingo, com as tradicionais rodadas duplas, acontecendo em dois estádios do município. Às 10h jogam Taboão/Arena Tite contra Boa Vista/Art Jóias no Estádio Municipal Alfredo João Krieck. No mesmo horário, no Campo do Guarani, se enfrentam Milan Futebol Clube e Box Top. Pela tarde jogam as equipes com melhor campanha nos dois grupos. O Guarani, [...]

Zeli da Silva defende que questões do Conselho de Ciência passem pelos vereadores Transparência e representatividade foram alguns dos princípios que levaram a vereadora Zeli da Silva a propor a emenda 20/2018, supressiva, aditiva e modificativa ao projeto de lei complementar Nº 10, de 9 de março de 2018, que cria e dispõe sobre a política municipal de ciência, tecnologia e inovação e estabelece medidas de incentivo e apoio às suas ações e estratégias no ecossistema empresarial, empreendedor, acadêmico e social no município. [...]

Até o início deste ano, a taxa administrativa cobrada pela Caixa Econômica Federal (CEF) para intermediação da transferência de recursos às prefeituras (para uma obra ou contrato viabilizado por uma emenda parlamentar) era de 2,5%. Em janeiro, o Ministério do Planejamento editou uma instrução normativa com novas regras para esses repasses, elevando o percentual da taxa para até 11,9%. A decisão gerou revolta, principalmente entre os gestores de pequenos municípios que seriam os mais prejudicados. Ao saber da notícia, o senador [...]

Fale conosco